No fim de ano, não é incomum querermos saber quais são as tendências do mercado profissional para o próximo período. Afinal, é essencial manter-se atualizado, principalmente se você for um operador do Direito.

Com tantos advogados no mercado — cerca de 1 para cada 175 habitantes, segundo os registros da OAB —, é necessário se destacar. Para isso, é importante estar atento às tendências do Direito.

Se você está no início da carreira, precisa saber quais as especialidades estão em alta. Nos últimos anos, as grandes operações investigativas, amplamente exploradas pela mídia, criaram um cenário propício para o desenvolvimento e o fortalecimento de algumas áreas da ciência jurídica no âmbito nacional, tais como Direito Penal e Compliance.

No entanto, não basta se especializar. É necessário acompanhar os avanços tecnológicos, afinal, eles vieram para facilitar a vida do profissional e têm se tornado cada vez mais frequentes no mundo jurídico.

Por isso, separamos neste artigo seis tendências do Direito para os próximos anos. Confira!

1. Especializações

Como você sabe, para ser um profissional de destaque é necessário manter-se atualizado e se especializar. Afinal, é impossível ser expert em todos os ramos do Direito.

Após o desmantelamento de grandes organizações criminais voltadas para a prática de crimes contra a Administração Pública, os temas corrupção e responsabilidade penal da pessoa jurídica (atualmente, apenas no âmbito ambiental) estão em evidência no cenário nacional.

As empresas estão cada vez mais preocupadas com a integridade e conformidade de seus atos aos valores éticos e regimentos internos da sociedade empresária, bem como ao ordenamento jurídico.

Nesse cenário, ganha destaque no mercado o profissional especializado em compliance. Ele atuará de forma preventiva, repassando orientações confiáveis aos gestores, contribuindo para a tomada de decisões de acordo com as normas éticas e ao ordenamento jurídico.

Se você deseja atuar nessa área, deve buscar especializações que possam propiciar o conhecimento necessário para uma efetiva avaliação e orientação dos processos de gestão empresarial. Afinal, são essas as competências que as empresas esperam dos profissionais.

Além do compliance, permanecem em ascensão o Direito Penal, Tributário e Ambiental, bem como os métodos consensuais e extrajudiciais de resolução de conflito — mediação, conciliação e arbitragem. Independentemente de qual seja sua opção, você precisará estar por dentro das ferramentas tecnológicas.

2. Computação em nuvem

O armazenamento de informações em provedores online tem se tornado cada vez mais comum. Muitos escritórios de advocacia têm investido na computação em nuvem pelos benefícios que ele traz, tais como:

  • as informações podem ser acessadas de qualquer lugar e em qualquer horário, desde que se tenha acesso à internet;

  • há uma economia da memória interna dos computadores e redução de custos com servidores;

  • aumento da segurança das informações, com a diminuição dos riscos de perda de dados importantes.

Atualmente, muitas empresas oferecem o armazenamento na nuvem, com planos vantajosos para garantir a segurança das suas informações.

3. Segurança

Em 2019, as questões referentes à segurança continuam em alta. No setor jurídico, não é diferente. Na verdade, ele demanda ainda mais cuidado. Afinal, ter os dados de um cliente divulgados pode ocasionar inúmeros transtornos, até mesmo, levar a perda da causa.

Apesar de o armazenamento na nuvem já oferecer uma segurança maior do que o tradicional uso de papéis, como qualquer outro sistema, o ambiente não é 100% seguro — por exemplo, pode haver alteração de dados.

Atualmente, não existe uma regulamentação no setor; todavia, algumas empresas já adotam medidas para garantir a segurança das informações, tais como criptografia, controle de acesso etc.

O advogado deve ficar atento também aos canais de comunicação com o cliente. Uma tendência para 2019 é o uso de portais online para o compartilhamento de informações de forma segura.

4. Chatbots

Certamente você já entrou em algum site e se deparou com uma janela de chat automática que oferece ajuda. Pois é! Os softwares de comunicação automatizada — chatbots — têm conquistado o mundo jurídico.

Eles prometem facilitar a vida do profissional, economizando o tempo gasto em consultas jurídicas. Por meio deles, os usuários conseguem sanar algumas dúvidas a partir de perguntas simples. Assim, o trabalho gasto na solução de simples questionamentos de potenciais clientes é economizado.

5. Marketing jurídico

Quando o assunto é atração de clientes, é necessário tomar cuidado para não infringir as normas da OAB. Afinal, o Código de Ética prevê punição para o profissional que obtém ou capta indevidamente clientes.

No entanto, isso não quer dizer que você não possa fazer publicidade, mas sim que precisa estar atento às restrições legais, tais como a divulgação de anúncios em catálogos, rádios e televisão.

O Marketing Jurídico pode ser feito por meio da promoção de conteúdos informativos em sites, redes sociais e blogs. Nesse cenário, o Marketing de Conteúdo é uma ótima opção para o profissional da advocacia. Por meio dele, você divulga conteúdos relevantes, aumentando a sua rede de potenciais clientes e a credibilidade do seu negócio.

6. Inteligência artificial

A inteligência artificial (IA) tem sido incorporada no mundo jurídico com o objetivo de melhorar a eficiência na prestação de alguns serviços pelos advogados.

O uso de “robôs” promete facilitar a gestão, principalmente nos grandes escritórios de contencioso massificado, por meio da análise de dados e identificação de processos semelhantes para elaboração automática de peças padronizadas. É possível que o advogado faça algumas alterações, adequando a petição ao caso concreto.

Além disso, com o advento do processo eletrônico, a IA tem sido utilizada para realização automática de protocolos, tarefa que, não raras vezes, demanda um elevado tempo do profissional, seja pelo número de etapas ou pelos constantes problemas técnicos apresentados pelos sistemas utilizados em alguns estados.

O acesso facilitado às informações é outro benefício da automação. Com ela, o operador do Direito consegue acompanhar suas publicações e gerenciar melhor seus prazos, bem como consultar a jurisprudência e doutrina de forma mais rápida e certeira.

Como você viu, a tecnologia é cada vez mais utilizada para facilitar a vida do profissional, reduzindo o tempo gasto na realização de determinadas tarefas e propiciando o melhor gerenciamento das informações. Por isso, além de se especializar e estar sempre atualizado, o advogado precisa acompanhar as tendências do Direito, principalmente as digitais.

Agora que você já sabe o que 2019 promete para as áreas jurídicas, que tal descobrir quais características são imprescindíveis ao profissional de Direito do futuro?

 

FMP - Fundação Escola Superior do Ministério Público
Autor

A Fundação Escola Superior do Ministério Público (FMP) foi criada em 30 de novembro de 1983, por Promotores e Procuradores de Justiça do Estado. É uma instituição de ensino privado, especializada no ensino jurídico, por isso carrega o nome do Ministério Público, órgão responsável pela defesa dos interesses da sociedade. Com mais de 35 anos de atuação na preparação e qualificação de estudantes e profissionais da área jurídica, a FMP tem foco absoluto no Direito e possui a expertise de quem é Superior em Direito.

1 Comentário

  1. Adoro o marketing jurídico.
    Contribui para o conhecimento e esclarecimento de muitas questões.
    Eu mesmo acompanho um advogado que dá orientações básicas de direito do consumidor.
    E acabou se tornando uma referência para mim. Vejo que ele entende do assunto.
    Quando precisar de um, sem dúvida ele será minha primeira opção, já que mora na minha cidade e parece ser acessível.

Escreva um comentário